Central de Manicures

o retorno de zabelê, zumbi e besouro... a vespa não veio. tá lá, fabricando mel

terça-feira, 7 de outubro de 2003

e o verbo se fez carne
TREPEI NO PRIMEIRO ENCONTRO. E AGORA?

O assunto “transar na primeira noite” é coisa do passado?

Até a semana passada, achava que sim.

Conheci um cara superlegal, interessante, gostoso... Meu número, basicamente.

Ficamos juntos boa parte da noite e, como tínhamos de trabalhar no dia seguinte, cada um foi pro seu canto. Três dias depois marcamos um encontro, comemos uma pizza e fomos até minha casa.

Veja bem: era oficialmente o segundo encontro, certo? Ou, no máximo, o primeiro encontro off-balada. Enfim, aconteceu. Achei ótimo e tive mais certeza ainda de que, no quesito “linguagem corporal” tínhamos realmente tudo a ver.

Voltamos a nos falar e ele perguntou quando nos veríamos de novo. Achei fofo da parte dele. Só que daí ele sumiu. Deixei recado no celular e ele não ligou de volta. "OK, o cara queria uma trepada e pronto. Sem ressentimentos", concluí e desencanei.

Daí que acabamos nos esbarrando outra vez e ele me disse que tinha sumido porque a gente tinha trepado e não feito amor. "Quero mais do que só sexo", ele falou.

Fiquei perplexo. Até porque eu mesmo procuro por isso há um bom tempo.

O que me intriga é pensar que achei alguém assim, com quem a coisa poderia dar certo. E deixei isso passar. Se é que ele foi sincero comigo. Porque, claro, existe a possibilidade de isso ser um mega truque dele. Hipótese na qual não levo muita fé.

Será que foi culpa minha? Fui fácil demais?

Não sei, mas não me sinto culpado. Minha preocupação com isso durou o tempo de trocar de camiseta e ir para a rua de novo. Acho que – hello-o! – os últimos 40 anos de discussão sobre sexo serviram para que?

Na maioria das vezes, relações gays morrem porque um ama a Madonna e o outro a Cindy Lauper. Um quer Dolce. O outro, Gabana. Sei lá, em casos mais cafonas um ama o Sá e o outro prefere o Guarabira.

Mas foi a primeira vez que uma história minha terminou porque eu trepei no primeiro encontro. Enfim, o cara certo, no lugar certo. Mas na hora (de trepar) errada. Pena.

0 Comments:

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home